A educação nos dias de Cristo

Nos tempos de Cristo a educação era um elemento muito importante da sociedade. Quando a criança tinha a oportunidade de, além do ofício do lar, aprender na escola dos rabinos, sua rotina não era fácil. Ela passava a manhã inteira na sinagoga, em uma sala com cerca de 25 alunos. A parte da tarde era dedicada ao trabalho que estava aprendendo com o pai. Com uma rotina intensa, é difícil imaginar se havia tempo para brincar e praticar esportes. Mas a verdade é que as crianças se divertiam muito. Uma típica criança judia participava de muitas brincadeiras, sendo a maioria delas coletiva.

Quem é a família de Jesus?

No texto de Marcos 3:33, a expressão “quem é minha mãe e meus irmãos” tem sido mal compreendida por alguns leitores da Bíblia. Vários sentidos têm sido dados, especialmente no que diz respeito à maneira hostil de Jesus para com sua família biológica (HARRIGTON,          2011, p. 81). Mulholland, sob a mesma temática, vai concordar que a expressão parece indicar aspereza (1978, p. 76), e Hendrikson vai sugerir uma tensão ou divergência, uma vez que o contexto parece aludir à ideia de que a credibilidade de Jesus perante sua própria família era baixa.  

Em nome da ciência, médica contraria a ideologia de gênero


A Dra. Carla Dorgam disse em determinada parte de seu belíssimo discurso: "Não façam de nossa educação o experimento que falta à ideologia de gênero. Nossas escolas não são laboratórios, nossas crianças não são cobaias." Veja este outro posicionamento de um neurologista:

Flávio Josefo e a Morte de Moisés: Uma nota.

Moisés é uma das figuras centrais do judaísmo. Junto aos Patriarcas e os reis Davi e Salomão, sua existência permeia a vida e provê identidade para o povo judeu. Ele é aquele que D-us escolheu para guiar os passos da nação ao sair do Egito, e através dele D-us estabelece uma aliança com aquele povo.  Ele é o grande instrutor de Israel, Moshê Rabenu, Moisés nosso mestre. Ele é a figura que representa o ápice do relacionamento contínuo com Deus. Embora Abraão seja o pai de todos nós, não é Abraão aquele que provê o limite da vida humana, mas Moisés. Ninguém pode viver mais do ele, porque ninguém é digno de pisar a Terra de D-us, mais que ele.

Comentário da Lição: Liberdade em Cristo

(Gl 5:13) – A geração atual está manchada com o senso comum de liberdade irrestrita baseada no sentimentalismo e na extrapolação da insensatez. O leão que ruge dentro de cada indivíduo e os desejos ali resididos são libertados da escravidão moral sob a roupagem de uma suposta verdadeira liberdade. Liberdade esta que, na verdade, traz desgraça e ruina ao final da jornada. A liberdade em Cristo representa liberdade da escravidão do pecado e da morte. Em nenhum momento Jesus nos concedeu, pelo seu sacrifício, liberdade para extrapolação imoral, desobediência e libertinagem.

Mais terror: A violência está com os dias contados

O sangue e a crueldade, todos os dias, estão estampados nos jornais do mundo todo. A violência que vemos estampadas nos jornais dessa semana é apenas a pequenina ponta do gigantesco e imensurável iceberg. É difícil dizer se houve, em algum momento da história, uma indiferença e crueldade tão imensuravelmente maior contra a vida. O que sabemos é que, pelas notícias diárias de criminalidade, nada mais parece chocar, assustar, assombrar, surpreender ou aterrorizar a sociedade de uma maneira tão impactante, marcante e perturbadora. Parece estranho, mas o que fica evidente é que um surto de espanto e pavor de ontem não é muito diferente do surto de hoje e, claro, não será diferente do surto de amanhã.

"Se Jesus não ressuscitou, então o que aconteceu?"

1. Se Jesus não ressuscitou, algo diferente aconteceu. Portanto, alguma história pode ser contada e que explica de uma forma natural os fatos conhecidos.

2. As explicações naturalistas mais populares são a teoria do desmaio, a teoria da alucinação, a teoria do roubo, e a teoria do túmulo errado.

3. A teoria do desmaio não é plausível. Jesus suportou seis julgamentos, foi açoitado, recebeu uma coroa de espinhos, foi crucificado e sepultado. Em seguida, Ele suportou três dias no túmulo sem cuidados médicos, empurrou uma enorme pedra da frente do túmulo, deu uma voadora na guarda romana inteira, caminhou com os pés perfurados para saudar seus discípulos. Isso seria um milagre maior que a própria ressurreição.

De escravos a herdeiros

(Gl 4:7) - Alguma vez você já refletiu na dimensão das bênçãos que recebemos diariamente? A água que bebemos, o ar que respiramos, a chuva que nos refresca, o sol que nos aquece, o alimento que comemos, enfim, todas estas coisas são dadas a nós mesmo sem merecermos. Da mesma forma, a graça redentiva nos é concedida diariamente somente nos méritos de Cristo. Em tudo o que recebemos - não merecemos absolutamente nada. Tudo nos é ofertado por bondade da parte de Deus. Não há nada em nós que pague ou pagará o que Deus tem nos oferecido. A verdade é que, Deus é bondoso demais, e por este motivo temos dificuldades em entender a dimensão do alcance de Sua graça. É o coração mau e perverso que temos que ofusca a nossa capacidade de entender e aceitar a graça gratuita de Cristo.

Comentário da Lição da ES: Caminho para a fé

(Gl 3:22) – Quando falamos em lei, notoriamente pensamos nas leis do trânsito, nas leis criminais, nas leis de proteção ao consumidor, nas leis da constituição, isto é, em um conjunto de leis que visam a proteção do cidadão em várias esferas da vida. Além das leis elaboradas pelo ser humano encontramos as que sistematizam a natureza. As leis da física são exemplos de leis elaboradas com o objetivo de gerenciar, manter e organizar o universo e tudo mais que esteja inserido nele. A lei da gravidade, descoberta por Newton, explica a força da atração e a organização geral de nosso ambiente físico de forma a proporcionar a manutenção da vida.

Achado em Jerusalém confirma história contada na bíblia

Arqueólogos que escavavam por Jerusalém descobriram artefatos queimados que datam de 2.600 anos atrás – provando a veracidade de uma passagem da bíblia. Os pesquisadores descobriram madeira carbonizada, sementes de uva, espinhas de peixes, ossos e cerâmica, ao escavar a Cidade de Davi, em Jerusalém. Os achados fornecem evidências de que os babilônicos “queimaram todas as casas de Jerusalém”, como descrito no livro de Jeremias.
Os pesquisadores do Israel Antiquities Authority descobriram os artefatos sob camadas de rocha na Cidade de Davi – juntamente com frascos com lacres que permitiram que os pesquisadores datassem os artefatos.

A gafe de Richard Dawkins

Comentário da Lição da ES: A superioridade da promessa

(Gl 3:18) – Havia um rapaz que noivou por três vezes e casou-se por duas. Infelizmente, nas três em que esteve noivo, a noiva o abandonou e, nas duas vezes em que esteve casado, foi traído e abandonado. Infelizmente, as promessas humanas, muitas das vezes estão a mercê da conveniência. Muitas pessoas mudam de opinião e de escolhas com facilidade. Sociedade líquida, com decisões e escolhas líquidas. Sob este aspecto, diferentemente dos homens, Deus nunca permitiu que qualquer uma de Suas promessas ficassem ao léo. A Sua fidelidade ultrapassa gerações (Sl 100:5; 119:90). Ao longo dos anos, desde a criação do homem, o Onipotente tem se revelado com promessas e, a maior evidência da integridade, durabilidade e fidelidade das promessas dEle, é que elas, apesar de milênios, continuam firmes e inabaláveis até hoje. Se em seres humanos não podemos confiar, saiba que em Deus podemos.