Adoração dançante para um povo que não dança?

[Michelson Borges] Recentemente recebi e-mail de um irmão músico que se mostrou preocupado com certos tipos de produções musicais que têm se tornado comuns no meio adventista. Antes de entrar no assunto, gostaria de reafirmar que admiro muito os cantores e músicos de nossa igreja; apoio tanto quanto possível o ministério deles e oro por eles, pois reconheço a importância da música juntamente com a pregação da Palavra e outros ministérios importantes da igreja. No entanto, não podemos tapar os olhos – ou os ouvidos – e fazer de conta que não há problemas.

O Cavalo de Troia da contrarreforma

Segundo narrativas da Odisseia de Homero, depois de longa guerra contra a fortificada cidade de Troia, os gregos, enganosamente, dramatizaram uma aceitação de derrota e, como homenagem, ofereceram aos troianos um gigantesco cavalo de madeira oco. Em meio à grande festa e bebedice, os troianos introduziram o “presente grego” na cidade. À noite, enquanto dormiam, soldados gregos saíram do cavalo e facilitaram a entrada de seu exército, que, finalmente, saqueou e destruiu a cidade.[1] O propósito deste artigo é apresentar alguns princípios fundamentais do método historicista de interpretação e fazer uma advertência quanto ao “cavalo de Troia” da contrarreforma, infiltrado no protestantismo.

A hermenêutica protestante e o surgimento da ciência moderna

Esse texto se propõe a estudar a relação entre as mudanças hermenêuticas avançadas pelo protestantismo durante os séculos 16 e 17 e o surgimento da ciência moderna. Mediante a rejeição de interpretações místicas e alegóricas da Bíblia e a adoção de uma leitura literal, simples e racional, a ciência foi indiretamente influenciada a abandonar propostas filosóficas e indutivas e adotar uma linguagem mais precisa, técnica, dedutiva e matemática.

A geração dos imaturos para sempre

Estamos vivendo um movimento que lembra a força de uma epidemia. Vivemos cercados de pessoas acometidas por uma espécie de mistura de “Síndrome de Peter Pan”, com “Complexo de Cinderela”, mais uma pitada de “Jeito Pateta de ser” e um tiquinho de “Meu sonho é morar na Disney”. Isso até seria engraçado, se não fosse assustador. E trágico.
Há pessoas que simplesmente não encontram o caminho da maturidade. E nem é que não queiram crescer ou estejam perpetuando a adolescência para além dos trinta, quarenta ou cinquenta anos porque decidiram que é assim que tem que ser. Não! Nada disso!

MP manda supermercado de SP suspender cartilha que condena gays, aborto e sexo fora do casamento

O Ministério Público do Trabalho de São Paulo mandou na sexta-feira (22) a rede Hirota Food Supermercados suspender a distribuição de cartilha que condena gays, o aborto e o sexo antes ou fora do casamento. O órgão informa que tomará medidas judiciais caso a empresa descumpra o pedido. A Promotoria considerou “discriminatório” o conteúdo da cartilha “Cada Dia Especial Família de 2017”, que traz 31 mensagens que discorrem sobre casamento, relação entre pais e filhos e até dívidas da família. Os textos foram escritos pelo pastor Hernandes Dias Lopes, da Igreja Presbiteriana, e a publicação teve tiragem de 10 mil exemplares. A notificação enviada pelo MP ao supermercado também exige que as cartilhas já distribuídas sejam retiradas de circulação e que a empresa deixe de produzir conteúdo desse tipo e o divulgar em suas lojas, site ou redes sociais.

A Influência do Materialismo

O relato da criação apresenta de forma clara e explícita a noção de que o homem deve cuidar do mundo, funcionando como seu administrador (Gen. 1:28-29, 2:5ss).  Neste plano ideal, o homem estaria em harmonia com o ambiente no qual viveria , beneficiando-se dos bens que o mundo produz segundo as ordens do Eterno e devolvendo ao Eterno em cuidado pelo mundo e reconhecimento pelas Suas bênçãos no mundo. Isto seria um ato de adoração. O pecado destruiu a unidade primordial, estabelecendo uma dicotomia entre o mundo a ser cuidado e o homem seu cuidador, iniciando quase um estado de beligerância entre os dois. 

Descoberto selo de 2,7 mil anos que pertenceu a governador de Jerusalém

Arqueólogos israelenses revelaram na segunda-feira uma impressão de carimbo em argila de 2.700 anos que acreditam ter pertencido a um governador bíblico de Jerusalém. O artefato, que traz inscrições em hebraico antigo dizendo “pertence ao governador da cidade”, provavelmente estava anexado a uma entrega ou foi enviado como um presente em nome do governador, autoridade local mais proeminente de Jerusalém na época, afirmou a Autoridade Israelense de Antiguidades. O carimbo, do tamanho de uma pequena moeda, representa dois homens de pé, de frente um para o outro de forma semelhante a um espelho e vestindo roupas listradas até os joelhos. Foi descoberto perto do Muro Ocidental da Cidade Velha de Jerusalém.

Ciência e Religião - Um casamento harmonioso

Ele estende os céus do norte sobre o espaço vazio; suspende a terra sobre o nada. Jó 26:7, NVI

Muitos cientistas contemporâneos argumentam que é impossível crer em Deus e ser um profissional sério. Entretanto, vários pesquisadores que ajudaram a lançar as bases da ciência moderna eram criacionistas. Um exemplo clássico é Isaac Newton, nascido em Woolsthorpe, Inglaterra, no dia 4 de janeiro de 1643. Considerado por muitos o cientista mais influente de todos os tempos, ele ajudou a desenvolver conceitos sobre física, astronomia, matemática e ciências naturais. Além disso, é extremamente conhecido pela Lei da Gravitação Universal, pelas Três Leis do Movimento e por seus estudos sobre a refração da luz.

Cristãos são cada vez mais influenciados pela nova era e pelo marxismo

Uma nova pesquisa revela o aumento da influência de crenças não cristãs na mentalidade dos cristãos praticantes, com grandes percentagens deles concordando com ideias que contrariam as Escrituras. O levantamento realizado pelo Instituto Barna, em cooperação com Summit Ministries, foi divulgado [no fim do ano passado]. Ele mediu o quanto as crenças centrais de outras visões de mundo como nova era, secularismo, pós-modernismo e marxismo afetaram a maneira com que os cristãos veem o mundo. “Sua influência generalizada sobre o pensamento cristão é evidente, incluindo ideias de religiões concorrentes”, afirma o relatório. Ao todo, 1.456 cristãos praticantes foram confrontados com uma série de afirmações e precisavam dizer se concordavam ou não com elas.

Submissão à palavra

Créditos da imagem:
Márcio Tonetti
Existem dois tipos de leitores da Bíblia, de acordo com o teólogo Elias Brasil de Souza. Há os que fazem perguntas para o livro sagrado e exigem respostas para satisfazer suas curiosidades ou necessidades imediatas. E há os que permitem que a Bíblia faça as próprias perguntas e ofereça as respostas. Esse último grupo, que se aproxima do texto bíblico com a humildade de um aprendiz, é o que tem mais chances de entender o significado original do texto e ser transformado pela Palavra. Pesquisador de primeira linha, versado nas línguas bíblicas e com um PhD em Antigo Testamento na Universidade Andrews (EUA) sobre a doutrina do santuário, desde 2015 ele tem dirigido o Instituto de Pesquisa Bíblica (BRI, em inglês), o braço teológico da sede mundial adventista. Por seu discurso e exemplo, Elias Brasil tem procurado ensinar que todo intérprete da Palavra precisa ser um servo da Palavra. Confira a entrevista a seguir.

TRADIÇÕES JUDAICAS E O NOVO TESTAMENTO

Visto que o Novo Testamento foi escrito por Judeus, em contexto judaico, não é surpresa que tradições judaicas tenham exercido um importante papel na sua tessitura, tanto conceitual quanto prática. E, ao falarmos das tradições judaicas, não estamos nos referindo particularmente ao chamado Antigo Testamento ou ao Tanakh judaico, mas a todo o corpo de sabedoria judaica, expressos e codificados na literatura talmúdica e midráshica. 
O grau de influência e inter-relacionamento entre a literatura neotestamentária e o corpus  da tradição judaica é motivo de discussão.