Razonite: uma enfermidade grave que está se espalhando pelo mundo

Razonite é uma doença altamente contagiosa que causa uma inflamação da razão e disfunções cerebrais sérias, além de um desequilíbrio emocional que torna as pessoas agressivas, intolerantes e impacientes. Sua principal característica é um forte impulso de querer ter razão, custe o que custar. Uma pandemia é uma epidemia descontrolada que se espalha pelo mundo. E é o que está acontecendo com a razonite, que tem se alastrado por todos os continentes de uma forma assustadora. A pandemia de razonite é um problema sério, que afeta cada dia mais pessoas e que põe em risco o bem-estar de toda a humanidade.

Alerta: O perigo da cultura pop


Leia também o testemunho de Michelson Borges aqui

A última geração e o que significa viver sem intercessor

A “Teologia da Última Geração”, desenvolvida por M. L. Andreasen, é um conceito de “teodicéia”, onde Deus é quem precisa livrar-se das acusações de Satanás. E, para ser defendido, Deus contará com a última geração de cristãos fiéis. Nessa teoria, Deus é vitimizado e precisa ser defendido.
De fato, o Dia da Expiação e o juízo tem esse aspecto da “vindicação”, mas Andreasen torna isso central, tão importante quanto a morte de Cristo. Deus é dependente dessa última geração, pois após a cruz, Satanás teria uma segunda chance de derrotar a Deus, derrotando a última geração. O primeiro round foi com Jesus, mas o segundo e definitivo round será com a última geração. Ou seja: Satanás ainda não foi vencido.

A história de Jó: realidade ou mito?

Por causa da forma poética em que 39 dos 42 capítulos do livro de Jó foram compostos e devido às forças sobrenaturais envolvidas nos desastres e aflições do herói (como também na restauração de sua saúde e fortuna), alguns eruditos têm questionado a historicidade do episódio. Teria existido uma pessoa como Jó? Onde teria ele vivido, e quando? Muitos têm especulado que ele seria mera figura fictícia, de certo modo um representante do povo hebreu durante o período de profunda aflição no cativeiro babilônico. Alegam que a grande porcentagem de palavras emprestadas do aramaico e o elevado nível de monoteísmo, que se reflete nos pontos de vista de todos os cinco personagens — ou seis, se incluirmos o próprio Iavé —.envolvidos nos diálogos, indicam uma data pós-exílica para a composição.

Deus vai desaparecer, diz Dan Brown, que lança livro em Frankfurt

Famoso por suas obras fictícias, porém bem estimulantes e polêmicas, Dan Brown parece gostar de brincar de lobo mau com os religiosos, em especial, o cristianismo. Depois de gerar algumas boas discussões a respeito da suposta vida íntima de Jesus com Maria Madalena, no filme ,“O código Da Vinci”, e apimentar as discussões a respeito do conflito entre ciência e religião, no filme, “Anjos e Demônios”, Brown, agora resolveu dar uma pequena alfinetada na possível origem do homem.
Autor de frases polêmicas, encontrou na ficção contestadora da religião o seu verdadeiro sucesso financeiro e profissional. Aliás, estratégia típica de quem deseja adquirir uma vida de sucesso promissora e rápida. Richard Dawkins que o diga.