10 março 2016

Lagarto de '100 milhões de anos' complexo como os de hoje

Detalhes perfeitamente preservados
Há 99 milhões de anos [segundo a cronologia evolucionista], antepassados dos camaleões que viviam onde hoje fica Myanmar foram aprisionados em resina de árvores coníferas. Com o passar do tempo, a resina se fossilizou em âmbar, e preservou os restos dos répteis. Ao todo, 12 fósseis foram encontrados em uma mina, e análises mostram detalhes incríveis desses antigos lagartos tropicais, os mais antigos já encontrados preservados em âmbar. Em estudo publicado on-line nesta segunda-feira na Science Advances, os pesquisadores relatam que três dos lagartos estavam particularmente bem preservados, incluindo espécimes com a pele intacta, tecido mole, pigmentos da pele visíveis e até mesmo, em um caso, a língua. Todos os animais são do período Cretáceo, entre 145,5 milhões e 65,5 milhões de anos atrás [sic].

“Lagartos são extremamente raros em depósitos de âmbar”, disse David Grimaldi, curador de zoologia invertebrada do Museu de História Natural de Nova York e coautor da pesquisa, ao site Live Science. “Eu nunca esperava ver tantos espécimes de um depósito do Cretáceo, e com tanta diversidade.”

Os lagartos foram encontrados há décadas em uma mina em Myanmar, e doadas ao Museu de História Natural de Nova York por um colecionador. Interessado pelas peças, Edward Stanley, pesquisador da Universidade da Flórida e coautor do estudo, empregou modernas tecnologias de microtomografia para analisar os fósseis e se surpreendeu com os resultados.

“Normalmente nós encontramos uma pata ou outras pequenas partes preservadas em âmbar, mas esses eram espécimes completos, com garras, almofadas dos dedos, dentes e escamas coloridas perfeitamente intactas”, disse Stanley.

Foram encontrados espécimes de lagartixas, antigos lagartos e camaleões, que jogam nova luz sobre os estudos evolucionários dessas espécies. A lagartixa, por exemplo, confirma que o grupo já tinha almofadas nos dedos usadas para escalar superfícies, sugerindo que a adaptação aconteceu em período anterior [rsrs]. O camaleão já tinha a língua enrolada que é disparada como um projétil, mas o formato do corpo e patas diferentes dos animais modernos.

Escamas, tecidos moles e garras preservados em âmbar


Nota criacionismo: Mais uma vez uma descoberta coloca a complexidade cada vez mais no passado. Daqui há pouco, como tenho dito, não haverá tempo para a evolução de mecanismos, órgãos e tecidos tão complexos. Clique aqui para ver o quão complexo é o sistema usado pelas lagartixas para escalar superfícies. (E leia isto e isto também.) Resumindo: quando são encontrados fósseis completos de animais cujos correspondentes vivem ainda hoje, o que se percebe é que eles são essencialmente os mesmos, com todas as complexidades inerentes à espécie. [MB]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Outras Postagens semelhantes

Related Posts with Thumbnails