09 maio 2017

Olhando para o espelho do passado

“Aquele dentre vós que está sem pecado seja o primeiro que lhe atire uma pedra.” (João 8:7). 

O grande encontro registrado neste verso mostra a maneira como Jesus lida com o pecador. Diante da turba furiosa repleta do senso de justiça, pois queriam apedrejar aquela mulher por causa dos seus pecados, Jesus, o grande Mestre da vida e da misericórdia, Se insere fazendo um dos mais belos discursos, o do silêncio. Algumas vezes haverá mais sabedoria no silêncio do que nas palavras. 

Com o Seu silêncio, escrevendo no chão, Jesus consegue ir aonde às vezes as palavras não são capazes de ir - no íntimo do entendimento e da razão humana permeados de arrogância e de orgulho. Jesus lançou os impetuosos para dentro de si mesmos, fazendo-os compreenderem que ao olharem para aquela mulher era como olhar para um espelho e enxergar as misérias contidas no próprio interior. Quando indagado novamente, Jesus com uma simplicidade assombrosa afirma: “Quem não tem pecado que atire a primeira pedra”. Em outras palavras, Ele solicitou que usassem a lucidez e a coragem para fazer um exame de suas próprias vidas e atos. Os linchadores, com a convicção abalada e envergonhada, não tiveram outra decisão a tomar a não ser a de sair de cena. Gentilmente, Jesus estende as mãos e, com olhar de ternura, chama a prostituta de “mulher”. Desta forma, Jesus pretende devolver a ela o que havia se perdido com os seus pecados. Ele lhe devolve o status de humanidade. 

O Onipotente, com mãos humanas a levanta do pó e, com profunda compaixão, profere uma das frases mais poderosas: “Vá e não peques mais”, ou seja, vá e reescreva a sua história, redefina os alicerces da sua existência. Que história impressionante e profundamente pedagógica. Nós, como discípulos do Todo Poderoso, a exemplo daquela multidão, necessitamos observar nosso próprio interior para perceber que os piores pecadores existentes no mundo podem ser, na mais pura essência, um retrato falado de nós mesmos. E a exemplo de Jesus, seguindo de perto as Suas pegadas, somos chamados a dar esperança a todos os que são maltratados pelo pecado, ajudando-os a terem as páginas da sua história reescritas. Juntamente, com e pelo Espírito Santo, somos eleitos por Deus para fazer uma obra de arte no coração das pessoas. O que a Nona sinfonia foi na batuta de Beethoven e o que o afresco da criação de Adão (pintura no teto da capela Sistina) foi nos dedos de Michelangelo, é o que Deus deseja que sejamos em Suas mãos para libertar os cativos e dar liberdade aos oprimidos (Lc 4:18).

- Aplicação: A história da mulher apanhada em pecado pode contar um pouco de nossa própria história dos tempos em que vivíamos longe de Deus e da verdade. Pensando nisso, algumas perguntas precisam ser consideradas:

1)- Pergunte a si mesmo: O que seria de mim se a verdade não tivesse alcançado a minha vida? Onde eu estaria hoje e que futuro estaria reservado a mim sem Deus?

2)- O encontro de Jesus com a pecadora faz-nos lembrar de quando Jesus também nos encontrou, para alguns, possivelmente no fundo do poço. Alguém, orientado pelo Espírito Santo, encontrou-nos com a Palavra de Deus. Você se lembra do exato momento em que isto ocorreu? Alguma vez demonstrou gratidão a essa pessoa por ter se sacrificado para apresentar a mensagem a você?

3)- Agora a pergunta mais importante: O que você, como líder chamado por Deus, pode fazer para retribuir o que Deus fez em sua vida? À exemplo de Jesus indo ao encontro da pecadora, Ele deseja fazer de nós um canal para transportar a água da vida aos sedentos por esperança. De que maneira podemos ser esse conduto de água para os que têm sede da verdade?

4)- Como enfrentar a zona de conforto e sair da comodidade para uma vida ativa e fervorosa na pregação da Palavra?

- Conclusão: A necessidade da pecadora que se encontrou com Jesus é a mesma necessidade inserida nos corações diversos. Imagine se Jesus não tivesse ido ao encontro daquela situação! À exemplo da mulher pega em uma situação constrangedora, há milhares de pessoas orando neste momento pedindo a Deus uma solução para as suas angústias. Agora, em reunião de treinamento e capacitação, Deus está tocando os nossos corações para aceitarmos esse desafio de ir ao encontro dos sofredores. Este é o momento de fazermos de nossa vida uma ferramenta útil nas mãos de Deus.

- Leitura recomendada: Atos dos Apóstolos, páginas 346 a 358.

Fonte: Estudo relacional para formação de líderes na União Nordeste Brasileira da IASD em 2017 - Autor: Pr. Gilberto Theiss