16 maio 2017

Cada oportunidade é única

E, à medida que seguirdes, pregai esta mensagem: O Reino dos Céus está a vosso alcance!” (Mt 10:7). Independentemente de qualquer situação ou condição, todos, diariamente, possuem percursos, interações e expressões. 

O percurso é o caminho ou trajeto que seguimos. Repetidamente nos deslocamos para o trabalho, para a escola, para a casa de algum amigo, para a igreja, para o centro comercial, para colocar o lixo na rua, enfim, com exceção de pessoas inválidas por uma fatalidade, todos vivem em constante deslocamento. A interação tem a ver com as relações externas. 

No banco, dialogamos com o atendente, no trabalho, com os conhecidos, na escola, com os colegas de curso, no comércio, com os comerciantes, na rua, com pessoas diversas que conhecemos ou pedimos informações. A expressão é a comunicação verbal ou não verbal que utilizamos para sermos entendidos. É a revelação do que pretendemos tornar conhecido. Seja audivelmente, através de gestos ou da escrita, temos a nossa peculiar forma de gerar significante e significado.  No texto introdutório, Jesus faz uso desses três princípios de socialização e interação com o mundo externo. Ele nos instrui a não perder nenhuma oportunidade de apresentar a verdade. 

Sua afirmativa “à medida que seguirdes (percurso), pregai esta mensagem (interação): O Reino dos Céus está a vosso alcance!” (expressão) é uma forma de apelar para que usemos toda e qualquer circunstância e oportunidade para exteriorizar o que foi capaz de revitalizar a nossa esperança. A mensagem da cruz e do vindouro Reino Eterno de Deus deve ocupar todos os espaços de nossa interação com o mundo. Mesmo que nos limitemos apenas ao simples deslocamento de ir até a rua para levar o lixo. Levar o lixo até a rua pode ser algo banal, mas a pessoa que cruzar o nosso caminho neste simples e rápido trajeto é o que transformará esse momento em ouro. Já parou para imaginar quantas pessoas Deus deve ter inserido em nosso caminho, mas, infelizmente, na maioria das vezes temos passado desapercebidos?

- Aplicação: Se você pudesse contar, quantas pessoas devem ter cruzado o seu caminho? Quantas poderiam estar apenas aguardando um simples convite para estudar a Bíblia?  Quantas precisavam de uma palavra de conforto ou de uma oração? Quantos teriam aceitado ir à igreja se você as tivesse convidado? Se pudéssemos de fato saber quantos contatos, interações, tratos e convívios foram desperdiçados ao longo dos anos, com certeza viveríamos profundamente frustrados, envergonhados e decepcionados consigo. Com base nisto, pergunte a si mesmo:

1)- Você acredita que é Deus, para fins salvíficos, quem propositalmente nos faz interagir com certas pessoas?

2)- O que podemos fazer para mudar a maneira como interagimos com as pessoas de forma que elas sejam cativadas para a verdade?

3)- Carregar livros, folhetos, DVDs e CDs de música ou pregações poderia ser uma forma de estar preparado para toda e qualquer circunstância?

4)- O que fazer para não perder nenhuma oportunidade de pregação?

- Conclusão: A nota tônica de Paulo “não vivo eu, mas Cristo vive em mim” (Gl 2:20), deve ser a nossa tônica de vida. Seguir os passos de Jesus é ser constantemente uma luz para os perdidos. A luz não pode clarear somente nos horários vagos que separamos para esta finalidade. Quem é luz é luz o tempo todo. Seja nas férias, no lazer ou no momento mais inapropriado, todos nós somos a porta do Céu para aquela pessoa sem Deus e sem a verdade. Claro que ser a porta é no sentido de ser um instrumento de Deus naquela circunstância que pode ser a última para aqueles que cruzam o seu caminho. No dentista, você pode até esconder a luz. No trabalho ou na escola, você pode até abafar a luz. Nas redes sociais, você pode até se isentar de mostrar a luz. Na rua ou em outro lugar qualquer, podemos até impedir que a luz brilhe, mas lembre-se que os verdadeiros discípulos serão somente aqueles que permitem que a luz brilhe em todas as circunstâncias, pois Jesus afirmou que “não se pode acender uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire. ” (Mt 5:15, 16).

- Leitura recomendada: Atos dos Apóstolos, páginas 291 a 297.

Fonte: Estudo relacional para formação de líderes na União Nordeste Brasileira da IASD em 2017 - Autor: Pr. Gilberto Theiss