06 março 2017

Papa Francisco e o discurso sobre o Sábado



O bispo de roma se referiu aos guardadores do sábado do tempo de Jesus como pessoas que fizeram uma interpretação formalista e acomodada as normas. Desta forma, segundo o papa, os fariseus mesclaram o erro com a verdade para levar as pessoas aos seus próprios dogmas.

De fato, é contestável qualquer comportamento que denote fanatismo ou intolerância religiosa. Os fariseus realmente extrapolaram na maneira de interpretar a lei a ponto de valorizar mais a norma do que o ser humano. Todavia, nenhum extremo deve ser aceito em qualquer circunstância. Seja no sentido de anular o amor por causa da lei, os mesmo no sentido de anular a lei por causa do amor. Os fariseus erraram em anular o amor por causa da lei e é isto que precisa ser combatido.

A guarda do sábado é um preceito bíblico e escrito pelo próprio Deus em tábuas de pedra (Ex 20). Há na Bíblia centenas de passagens que claramente fortalecem o sábado como mandamento de Deus. Não deveria haver dúvidas quanto a isto, uma vez que não há na Bíblia nenhuma declaração de mudança do dia sagrado e nenhum novo decreto imperial claramente ensinando que a graça anula a obediência a este mandamento. Os argumentos utilizados pelos amigos evangélicos e católicos não passam de meras tentativas de forçar a Bíblia afirmar algo que ela não disse. 

Ultimamente, uma vez que a tentativa de anular o mandamento sabático, usando a própria Bíblia, tem sido um fracasso atrás de outro, a nova estratégia tem sido a de comover, uma espécie de apelo emotivo sob a prerrogativa do amor. Tipo, as pessoas que insistirem com a ideia da guarda do sábado em um mundo totalmente contrário a esta prática tanto no âmbito comercial quanto das massas religiosas, podem ser naturalmente taxados de fanáticos e contrários a lei do amor. O amor de fato é a lei suprema, mas o amor não pode anular a lei, porque o cumprimento da lei é o amor (Rm 13:8). 

A exemplo dos fariseus que radicalizavam as normas, segundo essa nova estratégia, que tem por objetivo anular o mandamento do sábado, os sabatistas atuais, que insistem, que teimam e que demonstram falta de flexibilidade neste assunto, não são nem um pouco melhores do que os fariseus do tempo de Jesus. Portanto, a declaração do papa Francisco, pode ser um ponta pé inicial para transformar os guardadores do sábado de hoje em fundamentalistas radicais, inimigos da sociedade, inimigos do bem e inimigos do amor. 

Aos poucos percebemos que a história que se está construindo no presente, trará um futuro nem um pouco amigável para àqueles que pretendem ser fieis a Deus da maneira como a Bíblia realmente nos ensina. Pelo que podemos perceber, em breve deveremos fazer uma escolha, escolher entre a Bíblia, ou a opinião dos homens. Escolher entre a vontade de Deus, ou a vontade humana. Abraçar os preceitos de Deus, ou os preceitos dos homens. Lentamente, observe, lentamente o cenário profético, aquele descrito em Apocalipse 12:17, onde o dragão persegue os que guardam os mandamentos de Deus, vai se estruturando exatamente como predito. Lembre-se, diante dos dilemas finais, onde seremos obrigados a escolher entre um lado ou outro, o conselho de Deus, expresso em Sua Palavra é este: “Antes importa obedecer a Deus do que aos homens” (At 5:29).

leia também:

Considerações de Ellen White sobre o dilema final entre a verdade e mentira

Selo de Deus ou sinal da besta

O Sábado perdeu-se no tempo?

Lei dominical na Bíblia

74 razões do porque que guardo o sábado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Outras Postagens semelhantes

Related Posts with Thumbnails