01 outubro 2014

Polêmica ou cumprimento profético? Incesto a vista...

Sem "travas" morais, vale tudo
O Conselho Nacional de Ética da Alemanha tomou decisão bastante polêmica nesta quarta-feira (24) ao sugerir o fim da criminalização do incesto. O pedido foi feito após a análise do caso de um homem que teve quatro filhos com sua irmã. O caso em questão tem como réu Patrick Steubing, adotado quando criança e que conheceu sua irmã biológica apenas aos 20 anos. Desde 2008, quando foi preso por incesto, ele trava batalha judicial que chamou a atenção de toda a comunidade alemã para o tema. De acordo com a lei local, relações sexuais entre irmãos ou entre pais e filhos são crime e podem render mais de dez anos de prisão. Nesta quarta, porém, o Conselho decidiu rever esse tipo de decisão. Na recomendação para que esse tipo de instrução seja revogada, o Conselho de Ética afirma que o risco de deficiências em crianças frutos desse tipo de relação não é suficiente para justificar a criminalização do incesto, considerado um “tabu social” pela entidade.

“O incesto entre irmãos parece raro nas sociedades ocidentais por conta dos dados disponíveis, mas a realidade é que os envolvidos têm muitas dificuldades de falar de sua situação por conta da ameaça de punição. Isso faz com que eles tenham suas liberdades fundamentais violadas e são forçados a negar seu amor”, afirmou Christiane Woopen, membro do Conselho.

O governo alemão, porém, parece sinalizar contra a medida do Conselho de Ética. Porta-voz do partido da premiê alemã Angela Merkel, Elisabeth Winkelmeier-Becker, afirmou que considera a medida um passo para o lado errado da situação. “É uma medida que vai completamente de encontro à proteção do desenvolvimento não perturbado de crianças”, disse ela ao Deutsche Welle.

A recomendação do Conselho de Ética, porém, se aplicaria apenas ao caso entre irmãos, fazendo com que o incesto entre pais e filhos não fosse descriminalizado.


Nota Criacionismo: Quando se soltam as “travas” morais, só Deus sabe para onde a “coisa” vai. Por conta da militância gay, o conceito de casamento já não mais se limita à união monogâmica entre um homem e uma mulher. Biblicamente falando, esse conceito não mudou nem vai mudar, mas a sociedade, bombardeada pela mídia, já aceitou a mudança. Na verdade, foi condicionada para isso. Ainda que o Conselho Nacional de Ética da Alemanha não consiga ver agora sua proposta atendida, parece que isso é uma questão de tempo. Depois do “casamento” de pessoas do mesmo sexo e do incesto, o que virá? O “casamento” entreespécies diferentes? E quem vai objetar? Com base em quê? [MB]

Nota Gilberto Theiss: Depois que o sexo se tornou uma prática comum como um aperto de mão, vinculado a toda essa liberação veio o homossexualismo e a pedofilia. Agora, como apenas um tabu, o incesto, escravizado a tanto tempo, também começa a dar sinais de liberdade. Para os desavisados, já tem sido comum a prática e incentivo do incesto. Alguns meses atrás, uma mãe e filha fizeram declarações incestuosas. Também há casos de irmãos que se conheceram intimamente e que hoje vivem amigados, já que a legalização civil ainda não é aceita. Enfim, eu diria que se trata apenas de mais um cumprimento profético. 

A descrição de Sodoma e Gomorra antes e após a sua destruição deixam evidente este fato (Gn 19:-15; 34-35). As filhas de Ló, ao praticarem incesto com o próprio pai, indica, nas entrelinhas, uma prática que era comum naquelas cidades antes de serem destruídas por Deus. Portanto, não era apenas pela prática homossexual que a cidade fora destruída, mas pela libertinagem sexual em todas as situações. Uma nota é importante estabelecer, a destruição deste mundo sodomizado está mais próxima do que imaginamos, pois Jesus em Lucas 17:28 foi muito claro, o mundo será destruído logo após a sua sodomização: "Como nos dias de ló". Quem viver verá... ops, me desculpe, já estamos vendo os sinais que evidenciam o que caracterizou a destruição daquelas ímpias cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Outras Postagens semelhantes

Related Posts with Thumbnails