27 outubro 2014

Vale Tudo pelo Dinheiro: Sexo e drogas movimentam US$16,7 bi na economia do Reino Unido, revela estudo


Eles já sabem que o rock'n'roll vale a pena, por isso agora os encarregados das estatísticas da Grã-Bretanha estão começando a analisar o sexo e as drogas em uma tentativa de dar uma visão mais ampla do tamanho da economia. O resultado da pesquisa estatística é que as vendas de drogas ilícitas e de serviços sexuais adicionam cerca de 10 bilhões de libras (16,7 bilhões dólares) para a atividade econômica da Grã-Bretanha a cada ano, representando pouco menos de 1 por cento da produção total da economia.

O instituto nacional de estatísticas britânico, o Office for National Statistics (ONS), divulgou os números nesta quinta-feira com um relatório detalhado de seus métodos, em preparação para adequar as contas públicas da Grã-Bretanha ao modelo da União Europeia, em setembro.
Encontrar estimativas precisas do consumo dos britânicos de drogas e prostituição provou ser a parte mais complicada do trabalho.

"As estimativas são baseadas em dados de qualidade variável, com as estimativas da atividade ilegal relacionada às drogas marcadamente mais fortes do que as da prostituição, mas ambas definitivamente mais fracas do que as estimativas de atividade legais", disse o ONS.
A prostituição é legal na Grã-Bretanha, mas bordéis, cafetões e publicidade não são, o que dificulta a avaliação do número de prostitutas.

O ONS disse acreditar na existência de ao menos 58 mil prostitutas na Grã-Bretanha em 2004 - com base em estimativas de uma instituição beneficente sobre o número de prostitutas em Londres - e que os números, desde então, tinham aumentado em linha com a demanda, com base no aumento do número de britânicos homens com idade superior a 16 anos.

Para outras cifras, o ONS se apoiou em pesquisas holandesas sobre o número de clientes de uma prostituta por semana, bem como o quanto ela ou ele gastam com roupas para o trabalho e preservativos: 125 euros (170 dólares) por ano e 50 centavos por cliente, respectivamente. 


Nota Gilberto Theiss: O ser humano se transformou em marca publicitária e em objeto capitalista. Antigamente havia por todos os lados centros de prostituição, no entanto, devido a liberação sexual que adentrou no mundo após a década de 60 e que se expandiu  com força em nossos dias, essas casas quase que desapareceram. Na verdade, a previsão é que esses  centros de prostituição entrem em extinção. O motivo que justifica a possível extinção das casas de prostituição é que o mundo de hoje se tornou em um verdadeiro ninho de adultério e prostituição.

Certo dia, conversando com um rapaz que não tinha compromisso com nenhuma religião, afirmou o seguinte: “Para que arrumar casamento se posso ser livre e ao mesmo tempo desfrutar do sexo quantas vezes desejar e com quem desejar?” Foi contundente em afirmar que ele tinha relação com cerca de 3 mulheres diferentes em todos os fins de semana e de várias idades.

Esta realidade demonstra dois fatos: primeiro, o planeta tornou-se uma verdadeira casa noturna; segundo, um número expressivo de pessoas, não sei dizer exatamente a porcentagem, por viverem na libertinagem sexual, acabam exercendo o papel de PROSTITUTOS E PROSTITUTAS funcionais.

A pergunta que surge é: pra que alguém iria até um prostíbulo pagar para ter uma noite de prazer se, pelo mundo a fora, é possível conseguir sexo de graça e com facilidade? Que situação chegou o planeta. Que situação chegou os seres humanos que se dizem racionais! Quanta insanidade e rebaixamento moral! Alguns, ainda conseguem ter a coragem de afirmar que evoluímos. Esta realidade justifica os índices de doenças mentais e o aumento considerável de suicídio.

Também justifica a realidade de tantas famílias se encontrarem em estado decadente com traços de dor, tristeza e sofrimento, além de crianças serem assassinadas através de abortos. Quantas famílias separadas e quantos filhos que vivem transtornados e desequilibrados psicologicamente por conviverem numa família destruída e com pais separados? Tudo isso com o objetivo, ou quase tudo, me desculpe a expressão, de manter a estupidez e a patifaria humana. No entanto, há esperança para aqueles que acreditam em Deus e em Sua palavra. Estes, os que têm esperança e vivem por ela, aguardam novo Céu e nova Terra onde habitará a justiça, o amor, o respeito, a pureza e a verdadeira felicidade.

Um detalhe, a violência também tornou-se um mercado ideológico.  Já parou para analisar quais seriam os motivos de haver leis que protegem bandidos (violência), além de pouco investimento em segurança pública e exagerado investimento no incentivo da violência através de filmes, novelas, programas infantis e vídeos games? Não parece haver uma agenda mercadológica por trás disso? Não se iluda meu caro, o dinheiro é tudo para o sistema e disso eles não abrem mão. A política do medo, do desespero e do sentimento de insegurança gera bilhões para os cofres dos poderosos que dominam o planeta. Para esta situação, eu tenho apenas duas coisas a declarar: “Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados.” (II Tm 3:13) e, “Porquanto [Deus] tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dos mortos.” (At 17:31). Amém, que assim seja...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Outras Postagens semelhantes

Related Posts with Thumbnails